Sexualidade em Oncologia

Sexualidade pós tratamento oncológico 

O diagnóstico de câncer, bem como seus diferentes tratamentos afetam o bem-estar psíquico e a qualidade de vida do(a) paciente oncológico, de sua família e, especialmente, de sua parceria. 

O tratamento do câncer, apesar de indispensável, pode resultar em prejuízos significativos à função sexual, ao estado emocional e ao relacionamento do casal. 

Alterações físicas e anatômicas  como a amputação  peniana, testicular, mamária, estenose vaginal,  desiquilíbrio hormonal, incontinência urinária ou fecal, alteração de peso, fístulas, estomas e os efeitos adversos do tratamento  como náuseas, vômitos, diarreia, fadiga e perda dos cabelos podem impedir o funcionamento sexual satisfatório. 

Quando a frequência sexual é interrompida, no contexto do câncer, outras formas de contato físico também diminuem indevidamente, dada a percepção que estas formas de afeto conduzem necessariamente ao intercurso sexual, mas sexualidade não é somente o coito.  

Quando pode ocorrer as disfunções sexuais?

Qualquer distúrbio ou dor associada ao intercurso sexual pode caracterizar a disfunção sexual, determinada por um distúrbio no processo que caracteriza o ciclo de resposta sexual (American Psychiatric Association, 2002).

Seguem algumas disfunções sexuais femininas :

Fonte: DSM-IV-TR-TM (American Psychiatric Association, 2002).

Resgate sua sexualidade de forma saudável

Fonte: www.sexuality.com.br

Leave a Reply

WhatsApp chat